Desembargador federal Abel Gomes recebe homenagem no “Dia Nacional do Ministério Público”

Publicado em 14/12/2018

O desembargador federal Abel Fernandes Gomes, integrante da Primeira Turma Especializada do TRF2, foi um dos agraciados na sexta-feira, 14 de dezembro, com o Colar do Mérito do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MP-RJ), maior honraria concedida pela instituição. O magistrado recebeu a comenda em sessão solene do Órgão Especial do Colégio de Procuradores de Justiça, sob a presidência do procurador-geral de Justiça do Rio de Janeiro, Eduardo Gussem. O evento marcou a comemoração do “Dia Nacional do Ministério Público”, estabelecido pela Lei Orgânica do órgão, Lei nº 8.625, de 1993.

Abel Gomes (à esquerda) recebeu a comenda de Eduardo Gussem

Também compuseram a mesa da solenidade a 3ª vice-presidente do TJ-RJ, desembargadora Maria Augusta Vaz, a presidente interina do TCE-RJ, Marianna Montebello Willeman, a corregedora-geral do  MP-RJ, Luciana Sapha Silveira, o procurador-geral do Estado do Rio de Janeiro, Rodrigo Crelier, o presidente licenciado da OAB-RJ, Felipe Santa Cruz,  o delegado da Polícia Federal Ricardo Andrade Saad, o conselheiro do Conselho Nacional do Ministério Público Marcelo Rabello de Souza, o conselheiro do Conselho Nacional de Justiça Fernando Mattos, o procurador-geral do município do Rio de Janeiro, Antônio Carlos de Sá,  o presidente da Associação do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (Amperj), Luciano Mattos, a presidente do Centro de Procuradores de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (Ceprojus), Maria do Carmo Casanova, o presidente da Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Integrantes do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (Coomperj), Luiz Antônio de Araújo, e a chefe da Fundação Escola Superior do MP-RJ (Femperj), Lilian Moreira Pinho.

A cerimônia foi prestigiada por autoridades, servidores, familiares e amigos dos homenageados, que lotaram o auditório do MP-RJ, no Centro do Rio. Logo após a outorga das medalhas, o ministro do STF Luiz Fux, que também recebeu o colar, discursou. O magistrado falou sobre seu percurso profissional, que inclui a atuação no Ministério Público, entre os anos de 1979 e 1982: “Naqueles anos, assim como hoje, o Ministério Público é uma força que luta pela higidez das instituições e pela ética no nosso país. Nós sonhávamos os sonhos que alimentam nossas esperanças”, lembrou.

O ministro destacou que sua experiência como promotor de justiça contribuiu para seu entendimento do papel que cabe aos órgãos componentes do sistema de justiça: “A justiça é um caminho por onde desfila o sofrimento humano e cabe a nós servir de exemplo para a sociedade, trabalhando pelos desvalidos, pela democracia e pela República. Foi isso que aprendi no MP”, concluiu.

Logo em seguida, Eduardo Gussem falou, do púlpito, para a plateia, chamando a atenção para o papel central que cabe ao MP, no atual momento do Brasil: “O Ministério Público é um instrumento para a transformação da realidade”, disse. Ele também ressaltou a necessidade de uma maior integração institucional e da organização de uma agenda comum de ações entre os órgãos coirmãos do MP, em defesa dos interesses do Estado fluminense e da nação: “A sacrificada sociedade brasileira clama pelo direito a mais igualdade, probidade no trato da coisa pública e menos violência”, declarou.

 

Compartilhe