Desembargador federal André Fontes recebe título de doutor honoris causa da Unisuam

Publicado em 29/04/2016

O desembargador federal André Fontes, atual presidente da 2ª Turma Especializada do TRF2, foi agraciado com o título de doutor honoris causa conferido pelo Centro Universitário Augusto Motta (Unisuam). A concorrida cerimônia realizada no campus de Bonsucesso, na Zona Norte carioca, foi prestigiada por diversas autoridades, acadêmicos, advogados e estudantes, como o desembargador Agostinho Teixeira, do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, os juízes federais Theophilo Antonio Miguel Filho, Helena Elias Pinto e Jose Arthur Diniz Borges e a advogada Ana Tereza Basilio.

Após a solenidade, o desembargador Álvaro Mayrink, do TJRJ, proferiu, para uma plateia repleta de estudantes de Direito e docentes, a aula magna intitulada “choque de realidade na busca da cidadania”: “O tema foi desenvolvido como uma imersão em minhas reflexões sobre Direito Penal e Constitucional. Procurei trabalhar sobre questões que reputo oportunas para o atual momento político e social do nosso país”, explicou o magistrado.

A conferência do título a André Fontes ficou a cargo do vice-reitor de relacionamento institucional da Unisuam, professor Pedro Paschoal Sava, que, além do diploma, entregou ao magistrado a Medalha Augusto Motta, criada em 2007 para condecorar pessoas que se destacaram na promoção da cidadania.

A mesa do ato contou com a presença da ministra aposentada do STF Ellen Gracie, do vice-presidente do TRF2, desembargador federal Reis Friede, do desembargador Alvaro Mayrink, da vice-reitora de Graduação e Pós-Graduação, professora Claudia Freitas de Lopes Costa, e do coordenador do curso de Direito, professor Antonio Carlos Araújo.

O cerimonial ficou a cargo da professora Sônia Guerra, que, na ocasião, lembrou aos presentes que o título de doutor honoris causa representa o reconhecimento da academia aos que se destacam no exercícios das suas profissões e na defesa de causas que contribuem para o crescimento da sociedade e para o aperfeiçoamento do conhecimento.

Em sua saudação ao agraciado, a ministra Ellen Gracie ressaltou sua alegria por estar participando de uma justa homenagem que, em sua opinião, representa um alento para os momentos difíceis por que passa o Brasil. Para ela, a atual crise política e financeira é mais um dos muitos percalços da história, que têm atrasado o ingresso do país no rol das grandes potências mundiais: “Apesar disso, um evento como este, em que nos reunimos para a outorga de um tão merecido título, mostra que ainda temos motivos para comemorar e ser esperançosos”, afirmou, acrescentando que “André Fontes representa a nova magistratura brasileira, dotada do tipo de mentalidade necessária para atuar no combate à corrupção endêmica e para ajudar a corrigir os rumos da nação”.

Ellen Gracie também alertou para a importância da “generalização do acesso à educação, que permite a cada cidadão desenvolver seus talentos e vocações” e, ainda, citou que é motivo de “orgulho a resiliência das instituições nacionais, que seguem cumprindo seus deveres e sua missão”, apesar de todas as dificuldades.

Legenda: A partir da esquerda: Pedro Paschoal Sava, André Fontes, Claudia Freitas Costa e Ellen Gracie
Legenda: A partir da esquerda: Pedro Paschoal Sava, André Fontes, Claudia Freitas Costa e Ellen Gracie