Meios alternativos de resolução de litígios em Propriedade Intelectual em destaque na Emarf

Publicado em 17/05/2010

        A Escola da Magistratura Regional Federal da 2ª Região (Emarf) – em parceria com a Organização Mundial da Propriedade Intelectual (OMPI) e com o Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) – realizará no dia 27 de maio, quinta-feira, no auditório do TRF2 (rua Acre 80, 3º andar, centro do Rio), das 13h30min às 18h, fórum sobre “Meios Alternativos de Resolução de Litígios em Propriedade Intelectual”.
        Após a abertura do evento, às 14h, o Sócio Diretor Adjunto da Prática de Propriedade Industrial da Garrigues Advogados (Portugal), Gonçalo Cunha Ferreira, falará sobre as “Vantagens e Desvantagens da Mediação”. Em seguida, às 15h30min, será a vez do Diretor Adjunto do Centro de Arbitragem da OMPI, Ignacio de Castro, palestrar (em espanhol, sem tradução simultânea) sobre o “Sistema de Mediação da OMPI e exemplos práticos”. Por fim, às 16h45min, Ignacio de Castro abordará (também em espanhol e sem tradução simultânea) o “Sistema de Arbitragem da OMPI e exemplos práticos”. Ao final, haverá espaço para debates.
        O fórum será aberto ao público e contará com videoconferência para a Seção Judiciária do Espírito Santo. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pela internet: www.trf2.gov.br/emarf na parte de cursos pelo portal de
inscrições. Os magistrados federais podem fazê-las pelo módulo do CAE também na internet. Já os servidores do Espírito Santo que quiserem assistir podem se inscrever pelo telefone (27) 3183-5187, ou pelo e-mail nucleoemarf.es@jfes.jus.br. Aos estudantes de direito serão concedidas horas de estágio pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).
        O evento, que integra o cronograma de 2010 do Curso de Aperfeiçoamento e Especialização – CAE para magistrados federais da 2ª Região, e que faz parte do Curso de Propriedade Intelectual (promovido pela Emarf e credenciado na Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados – Enfam), conta com o apoio, além do Tribunal Regional Federal da 2ª Região, das Seções Judiciárias do Rio de Janeiro e do Espírito Santo, da Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe), e da Associação dos Juízes Federais do Rio de Janeiro e Espírito Santo (Ajuferjes).