TRF2 adere à Campanha Outubro Rosa pela conscientização da prevenção do câncer de mama

Publicado em 05/10/2017

Com o objetivo de sensibilizar o público sobre a importância da prevenção do câncer de mama, o TRF2 promove, no mês de outubro, as seguintes ações para reforçar a Campanha Outubro Rosa: divulgação de peças impressas e digitais da campanha nas dependências da instituição, iluminação na cor rosa da entrada do prédio-sede, matérias sobre o tema na área de “Destaques” da Intranet e da Internet, além da colocação da logomarca da campanha na interface desses portais, a fim de atender à identidade do Outubro Rosa.

 

Fachada do TRF2

 

Campanha Outubro Rosa

O movimento nasceu na década de 1990 e é celebrado anualmente, com o intuito de estimular a participação da população no controle do câncer de mama, compartilhando informações sobre o tema, promovendo a conscientização sobre a doença, proporcionando maior acesso aos serviços de diagnóstico e de tratamento e ainda, contribuindo para a redução da mortalidade.

De acordo com informações do INCA, o câncer de mama é o mais comum entre as mulheres no Brasil e no mundo – depois do câncer de pele não melanoma – respondendo por cerca de 28% dos casos novos a cada ano. O Ministério da Saúde oferece tratamento através do Sistema Único de Saúde (SUS).

 

Quais são os fatores de risco?

Fatores ambientais e comportamentais: obesidade e sobrepeso após a menopausa, sedentarismo, consumo de bebida alcoólica, exposição frequente a raios-x;

Fatores da história reprodutiva e hormonal: primeira menstruação antes de 12 anos, mulheres sem filhos, primeira gravidez após os 30 anos, não ter amamentado, menopausa após os 55 anos, uso de contraceptivos hormonais, reposição hormonal pós-menopausa (principalmente por mais de cinco anos);

Fatores genéticos e hereditários: história familiar de câncer em ovário, casos de câncer de mama na família (principalmente antes dos 50 anos), história familiar de câncer de mama em homens, alteração genética.

 

Sinais e sintomas:

Caroço (nódulo) fixo, endurecido e, geralmente, indolor;

Pele da mama avermelhada, retraída ou parecida com casca de laranja;

Alterações no mamilo;

Pequenos nódulos nas axilas ou no pescoço;

Saída espontânea de líquido dos mamilos.

 

Aproximadamente 80% dos tumores são descobertos pela própria mulher ao apalpar suas mamas, portanto, é importante observá-las sempre que se sentir confortável para tal. A seguir os passos para realizar o autoexame:

 

 

Como prevenir?

Cerca de 30% dos casos de câncer de mama podem ser evitados com a adoção de hábitos saudáveis como:

Praticar atividade física regular;

Alimentar-se saudavelmente;

Manter o peso corporal adequado;

Evitar o consumo de bebidas alcoólicas;

Amamentar.

 

Detecção precoce:

Autoexame das mamas;

Mamografia de rastreamento (quando não há sinais nem sintomas) a cada dois anos, para mulheres de 50 a 69 anos.

 

Mulheres com risco elevado para a doença devem conversar com seu médico para decidir a conduta a ser adotada.

 

ATENÇÃO: O SUS oferece exame de mamografia para todas as idades, quando há indicação médica.

Para mais informações, busque o acompanhamento de especialistas ou acesse:

 

Sociedade Brasileira de Mastologia – www.sbmastologia.com.br

 

Instituto Nacional de Câncer – www.inca.gov.br