TRF2: O Judiciário no combate ao mosquito Aedes aegypti

Publicado em 08/04/2016

Diante do aumento no número de casos de Dengue e Zika no Brasil, alarmante para a saúde pública, o Ministério de Saúde, bem como os órgãos internacionais, vêm promovendo uma maciça campanha de conscientização a respeito das doenças transmitidas pelo mosquito Aedes Aegypti e suas formas de prevenção.

Levando em consideração a importância dessa mobilização, o ministro Ricardo Lewandowski (STF) anunciou em março o apoio do Judiciário no combate ao mosquito. A ideia é estimular uma série de ações que sirvam para sensibilizar a instituição acerca da gravidade do problema, sendo imperiosa a adoção de medidas preventivas.

No TRF2, foram registrados 155 casos de Dengue (2004), com 9 ocorrências no ano passado (2015). Não há, ainda, dados relativos à infecção pelo Zika vírus, uma vez que, apenas recentemente, foi disponibilizado o CID específico da doença pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Atento à relevância dessa movimentação, o TRF2 está divulgando, por todas as suas unidades, materiais que informam como evitar a proliferação do mosquito, além de distribuir panfletos na recepção do prédio-sede, dirigidos ao público externo.

Você sabia?
O Aedes aegypti é um mosquito de hábitos diurnos, com maior atividade ao amanhecer e entardecer. As pernas e os pés são os alvos preferenciais do mosquito, por isso usar calças compridas e meias pode colaborar na prevenção à sua picada.
A contaminação se dá pela fêmea, que pode transmitir tanto a Dengue, quanto Zika ou a febre Chikungunya.

Como prevenir?
Os ovos são colocados em água limpa e parada, por isso é de suma importância verificar se não há algum local, na sua casa ou trabalho, com água acumulada. O importante é eliminar os criadouros do mosquito, para que ele não circule.

combate

Clique para ter acesso a mais informações.