TRF2 recebe o prêmio “Conciliar é Legal” do CNJ*

Publicado em 13/05/2016

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) entregou, na noite da última terça-feira (10/5), o VI Prêmio Conciliar é Legal para 15 experiências consideradas vencedoras em um total de 45 práticas inscritas. Neste ano, o diferencial foi a premiação dos tribunais que apresentaram os melhores índices de pacificação durante a Semana Nacional da Conciliação, ocorrida em 2015.

O TRF2 foi o vencedor na categoria “Tribunais Regionais Federais (TRFs)” com o projeto “Educação para Cidadania nas Comunidades do Rio de Janeiro” desenvolvido pelo Centro de Atendimento Itinerante da Justiça Federal (CAIJF), coordenado pelo juiz federal Vladimir Vitovsky, órgão integrante do Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos da 2ª Região (NPSC2). “A nossa ideia é levar informação para o cidadão, aproximá-lo da Justiça”, declarou o magistrado.

Duas comunidades carentes foram escolhidas: Cidade de Deus e Complexo do Alemão. Foram realizadas palestras interativas e oficinas, inclusive com a participação de parceiros de autarquias federais. “Começamos explicando o que é a Justiça Federal e depois explicamos sobre direito previdenciário, que era a maior demanda local. Levamos até uma perita do INSS para tirar dúvidas da população”, detalhou Vladimir.

O trabalho foi focado nos líderes comunitários e agentes comunitários de saúde. “Eles são os nossos disseminadores de informação”, explicou o coordenador do programa. Foram mais de 50 palestras, pelas quais passaram mais de duas mil pessoas. “Estamos desenvolvendo formas de contabilizar os resultados positivos, mas o melhor indicativo de sucesso são os convites que recebemos para levarmos o programa para outras comunidades, como Rocinha e Acari”, completou.

Além do juiz federal Vladimir Vitovsky, estiveram presentes na cerimônia o corregedor regional da Justiça Federal da 2ª Região, desembargador federal Guilherme Couto, a juíza federal auxiliar do NPSC2, Aline Miranda, e os juízes federais Priscilla Corrêa e João Marcelo Oliveira.

A partir da esquerda: desembargador federal Guilherme Couto e os juízes federais Aline Miranda, Vladimir Vitovsky, Priscilla Corrêa e João Marcelo Oliveira
A partir da esquerda: desembargador federal Guilherme Couto e os juízes federais Aline Miranda, Vladimir Vitovsky, Priscilla Corrêa e João Marcelo Oliveira

Sobre o prêmio

O Prêmio Conciliar é Legal é promovido pelo CNJ e busca reconhecer as práticas de sucesso, estimula a criatividade e dissemina a cultura dos métodos consensuais de resolução dos conflitos. Concorrem aos prêmios tribunais, magistrados, instrutores de mediação e conciliação, instituições de ensino superior, usuários e empresas, que apresentaram práticas com resultados comprovados.

*Com informações da Agência CNJ de Notícias