integra a programação do
Ret√Ęngulo largo na altura e bem curto no comprimento, de fundo rosa claro. Em laranja quase caramelo, a frase: VII ENCONTRO MULHER, PODER E DEMOCRACIA.

Na foto, uma mulher ordenha o seio esquerdo e, com a m√£o direita, segura um livro na dire√ß√£o do jato de leite. Ela est√° sentada, com uma das pernas cruzadas; veste vestido rosa claro. Possui cabelos castanhos escuros, tamanho m√©dio. Seu semblante √© de contempla√ß√£o, ao olhar para a a√ß√£o de ‚Äúamamentar‚ÄĚ. No segundo plano, uma caixa alta branca na frente de uma parede cinza.

 

artista
Adriana Granado

visitação
27 jan a 17 mar 24
terça a domingo
das 11h às 19h
abertura dia 27 às 15h

local
Galeria da Cela Рtérreo

valor
Gratuito

classificação indicativa AL (livre)

 

Sinopse

O ambiente √© uma sala expositiva de museu ou galeria. A artista se encontra presente. No entanto, sua disposi√ß√£o corporal e vestimenta parecem a princ√≠pio identific√°-la como musa ou modelo de alguma obra, ou seja, como tema, ao inv√©s de figura criadora. A a√ß√£o a seguir descontr√≥i essa expectativa. O v√≠deo acontece em duas cenas, em looping, com um movimento semelhante em cada uma. O gesto √© de amamenta√ß√£o; nos bra√ßos, no entanto, ao inv√©s de um beb√™, vemos os livros Arte contempor√Ęnea ‚Äď uma hist√≥ria concisa, de Michael Archer e A hist√≥ria da arte, de E. H. Gombrich.

S√£o eles que recebem os jatos de leite. Eles, no sentido amplo do termo: eles os livros, eles os autores, eles os artistas ‚Äď homens, brancos, eurodescendentes¬† ‚Äď que comp√Ķem quase exclusivamente os manuais de Hist√≥ria da arte, essa Hist√≥ria, com H mai√ļsculo, que esmaga a pluralidade de narrativas. Al√©m do v√≠deo, ser√£o apresentadas cinco fotografias em que se v√™ outros livros de hist√≥ria da arte ‚Äėmanchados‚Äô de leite.

A maternidade, especialmente, ocupa um lugar central na obra. Apesar de ser um tema imenso e inesgot√°vel, a Hist√≥ria da arte vinculou a maternidade majoritariamente a uma figura espec√≠fica: Virgem Maria. Composi√ß√Ķes com essa santa amamentando Jesus certamente poderiam compor uma √ļnica exposi√ß√£o. A nudez feminina, por sua vez, ganhou nessa Hist√≥ria um campo de tematiza√ß√Ķes mais vasto, que cobre desde figuras mitol√≥gicas a mulheres de etnias consideradas ex√≥ticas. Seja espiritualizada e divinizada na figura da virgem sant√≠ssima, hiperssexualizada na figura de prostitutas ou at√© em sonhos escapistas do exotismo, a figura√ß√£o das mulheres manteve-as aprisionadas na condi√ß√£o de temas.

Em Aleitamento, a aproxima√ß√£o da maternidade com a cria√ß√£o art√≠stica toma a forma de um ato cr√≠tico e provocador √† narrativa oficial fixada nos manuais. Trata-se de diluir e desenrijecer as palavras de ordem de tais constru√ß√Ķes visuais e discursivas. O gesto, por certo, n√£o sexualiza, mas tampouco espiritualiza ou idealiza o gesto de amamenta√ß√£o. Na performance, o derramamento de leite se converte em arma de combate.

Adriana Granado. Setembro/2022.

Mini Bio

O trabalho de Adriana Granado permeia o universo da fotografia encenada e da videoperformance. Ela usa o pr√≥prio corpo como tema para estabelecer di√°logos entre identidade feminina e rela√ß√Ķes corpo-espa√ßo urbano. A artista participou de exposi√ß√Ķes coletivas e individuais na Fran√ßa, Gr√©cia e Brasil. √Č atualmente mestranda em Artes Visuais pela UFRGS.