integra a programação do
Retângulo largo na altura e bem curto no comprimento, de fundo rosa claro. Em laranja quase caramelo, a frase: VII ENCONTRO MULHER, PODER E DEMOCRACIA.

Mostra Mulheres da Palavra

 

professor
Isaac Bernat

9 e 10 de março
sábado e domingo, das 10h às 14h
(carga horária: 8h)

local
Sala de cursos

valor
gratuito

faixa etária
Maiores de 16 anos

número de vagas
20

Ementa

A partir dos anos de convivência com o griot africano Sotigui Kouyaté, a oficina pretende investigar o papel que o ato de contar histórias individualmente e em grupo pode ter no reconhecimento da identidade do ator, bem como na afirmação e no fortalecimento de sua autonomia criadora. A oficina é fundamentada na convivência de 10 anos de Isaac Bernat com Sotigui Kouyaté, que originou sua tese de doutorado: “O olhar do griot sobre o ofício do ator: uma reflexão a partir dos encontros com Sotigui Kouyaté”. O estudo deu origem ao livro “Encontros com o griot Sotigui Kouyaté”.

Os griots têm uma função indispensável na África Ocidental, pois são a memória do continente africano. Eles são sábios itinerantes, conselheiros dos reis e de chefes tradicionais, mediadores e mestres de cerimônias em todas as épocas. Conhecidos como mestres da palavra, são também cantores, músicos e contadores de história.

Por meio de exercícios específicos que buscam resgatar a sensibilidade perdida no cotidiano, o curso pretende expandir a percepção individual de cada aluno bem como valorizar a noção de grupo através de um encontro pleno entre os participantes. Além dos exercícios, haverá um trabalho focado na figura do contador de histórias que está na base de qualquer tipo de atuação. Pelos exercícios de percepção, escuta, sensibilização e presença, o aluno experimentará as possibilidades inseridas no ato individual de contar uma história, conto ou parábola, ao mesmo tempo em que terá a oportunidade de mergulhar nas questões que surgem ao se tornar um dos elementos do grupo durante uma contação coletiva.

Plano de Aula

– Vídeo sobre o griot Sotigui Kouyaté;
– Exercícios de sensibilidade, escuta e jogo-relação.

– Histórias, contos e provérbios
– Roda de histórias

Bibliografia

BENJAMIN, Walter. O Narrador In: Magia e Técnica, Arte e Política. São Paulo: Brasiliense, 1994.
BERNAT, Isaac Garson. Encontros com o griot Sotigui Kouyaté. Rio de Janeiro: Pallas, 2013.
BROOK, Peter. A porta aberta. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1999.
HAMP TÉ B , Amadou. “A Tradição Viva”. In: KI-ZERBO, Joseph. História Geral da África Vol 1. São Paulo: Ática/Unesco, 1980.
MATOS, Gislayne Avelar e SORSY, Inno. O ofício do contador de histórias. São Paulo. Martins Fontes, 2005.

Sites:
http://.africultures.com/index.asp?menu=affiche_article&no=2129
www.casadasafricas.org.br/
www.aletria.com.br/

DVD -Sotigui Kouyaté – Um Griot no Brasil. Roteiro e direção de Alexandre Handfest. São Paulo: SESC TV, 2007

Sobre Isaac Bernat

Isaac Bernat é ator, diretor e professor de interpretação da Faculdade Cal de Artes Cênicas e doutor em Teatro pela UNIRIO. Autor do livro “Encontros com o griot Sotigui Kouyaté”( Pallas) e integrante do corpo docente do Curso de Especialização em “Literatura, Arte e Pensamento Contemporâneo” da PUC-RJ. Vencedor do Prêmio Botequim Cultural de ator por “Incêndios” de Wajdi Mouawad, com direção de Aderbal Freire Filho e do Prêmio Zilka Salaberry, pela direção de “Lili, uma história de circo”, de Lícia Manzo. Entre as suas encenações, destacam-se: “ Cora do Rio Vermelho” de Leonardo Simões, “O Encontro entre Malcolm X & Martin Luter King Jr”, de Jeff Stetson, “Carolina Maria de Jesus – EU AMARELO”, de Elissandro de Aquino, “ Deixa Clarear” e “ Por Amor ao Mundo – Um Encontro com Hanna Arendt”, ambas de Marcia Zanelatto, e “Calango Deu”, de Suzana Nascimento. Como ator, seus trabalhos mais recentes são: “Pá De Cal”, de Jô Bilac, “Agosto”, de Tracy Letts, “Incêndios” e “Céus”, de Wajdi Mouawad, “Cara de Fogo”, de Marius Von Mayenburg, “Mulheres sonharam cavalos”, de Daniel Veronesi e “Mão na Luva”, de Oduvaldo Vianna Filho.