Justiça Federal vai ao Cidadão: CAIJF promove ação em presídio de Bangu e solicita doação de livros

Publicado em 04/12/2017

Na última terça feira (28/11), o Centro de Atendimento Itinerante da Justiça Federal (CAIJF), vinculado ao Núcleo Permanente de Métodos Consensuais e Solução de Conflitos da Segunda Região (NPSC2), encerrou o processo de visitações mensais do exercício de 2017 ao Instituto Penal Plácido de Sá Carvalho (SEAPPC), no complexo penitenciário de Gericinó, em Bangu, zona oeste do Rio.

Coordenada pelo juiz federal Vladimir Vitovsky (titular da 9ª Vara Federal de Execução Fiscal da capital fluminense e supervisor do CAIJF), a ação contou também com a participação da juíza federal Valéria Caldi Magalhães (titular da 8ª Vara Federal Criminal da SJRJ); da defensora Clarissa Ligièro (Defensoria Pública da União – DPU); da procuradora da República Ana Padilha (Ministério Público Federal – MPF); do servidor Francisco Adelmo (Instituto Nacional da Seguridade Social – INSS) e do servidor Luiz Henrique de Andrade (Primeiro Atendimento da SJRJ).

Na oportunidade, o grupo ofereceu atendimento a fim de solucionar pendências existentes na esfera da Previdência Social. Como o presídio tem um contingente populacional grande, de quase 3.200 internos, foi organizada uma triagem para a escuta individual dos casos, tendo em vista que o trabalho será continuado durante o próximo ano.

De um conjunto de aproximadamente 60 internos que receberam, coletivamente ou individualmente, informações sobre a função da equipe presente, foram registrados um total de 17 atendimentos pela defensora Clarissa Ligièro e pelos juízes federais Vladimir Vitovsky e Valéria Caldi. Apesar do INSS ter levado o computador institucional para viabilizar consultas ao CNIS, a rede protegida de internet fixa do Instituto Penal não reconheceu o equipamento, de modo que não se conseguiu acessar durante a ação o referido sistema Previdenciário.

Para dezembro está programada uma reunião com as assistentes sociais do Instituto Penal, a fim de se elaborar uma estratégia visando otimizar o atendimento aos detentos.

Livros

No decorrer da ação os internos solicitaram livros para a pequena biblioteca do presídio, que quase não recebe contribuições. Diante do pedido, o CAIJF, em parceria com a Biblioteca do TRF2, iniciou uma campanha solidária de doação de títulos, que não sejam jurídicos, para contribuir com a renovação do acervo da biblioteca deles.

As ações organizadas pelo CAIJF se constroem a partir de um processo de rede colaborativa, que conta com participação espontânea de outras instituições. Desta forma, o referido Centro está disponibilizando o e-mail jfitinerante@trf2.jus.br para quem queira fazer contatos e sugestões. A doação de livros pode ser feita diretamente na Biblioteca do TRF2, no 8º andar do edifício sede (Rua Acre 80, centro do Rio).

 

Doações de livros para presídio podem ser feitas na Biblioteca do TRF2