Presidente do TRF2 recebe visita do presidente do Instituto IARA e diretor da comissão da verdade da escravidão, da OAB

Publicado em 07/04/2017

“A Justiça Federal deve se manter sensível aos pleitos da militância contra o racismo e em favor da promoção da igualdade e das ações afirmativas em seu sentido mais amplo”. A declaração foi feita pelo desembargador federal André Fontes, durante a visita que o advogado Humberto Adami Santos Junior fez à Corte, para parabenizar o magistrado pela posse na Presidência do TRF2, ocorrida na quinta-feira, 6 de abril de 2017.

Humberto Adami é o presidente do Instituto de Advocacia Racial e Ambiental (IARA) e diretor da Comissão Nacional da Verdade da Escravidão Negra no Brasil do Conselho Federal da OAB (CNVENB). Na visita, ele pediu o apoio do presidente do TRF2 para o resgate da memória da luta contra o racismo, por meio dos processos que já tramitaram na Segunda Região. O advogado falou de sua intenção de desenvolver um projeto, em parceria com o Tribunal, para o levantamento no acervo processual de casos relacionados aos desafios e às conquistas dos negros no Brasil.

“Para além das suas obrigações legais o Tribunal tem um compromisso social, porque é chamado a resolver lides cujo tema de fundo é a questão histórica da injustiça contra as minorias. As ações que tratam das cotas nas universidades públicas federais e os direitos à terra de comunidades tradicionais e quilombolas são dois dos muitos exemplos que apenas refletem na prática jurisdicional um problema histórico mais profundo”, afirmou André Fontes, na ocasião.

André Fontes e Humberto Adami
André Fontes e Humberto Adami