TRF2 determina retorno de Adriana Ancelmo para prisão no cárcere

Publicado em 23/11/2017

Em julgamento de embargos infringentes realizado na quinta-feira, 23 de novembro, a 1ª Seção Especializada do TRF2, atendendo a pedido do Ministério Público Federal, determinou, por maioria, o retorno da ex-primeira dama do Estado do Rio de Janeiro, Adriana Ancelmo, para uma unidade prisional.

O relator do caso no TRF2 é o desembargador federal Marcello Granado, cujo voto foi acompanhado pelos desembargadores federais Abel Gomes e Paulo Espirito Santo, decidindo o julgamento.

Adriana Ancelmo estava cumprindo prisão preventiva em regime domiciliar por determinação da 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro que a condenou a 18 anos e 3 meses por associação criminosa e lavagem de dinheiro.

A ex-primeira dama foi presa na Operação Calicute, da Polícia Federal, realizada para desbaratar esquema de corrupção no Governo do Estado do Rio de Janeiro, durante a gestão do governador Sérgio Cabral, que segue preso preventivamente.